A embalagem ideal do azeite de oliva

Não há quem não aprecie comprar um azeite numa garrafa clara que mostre aquela linda aparência de um liquido límpido e amarelo brilhante. Ate a maioria das fotos de azeite são nesse tipo de garrafa, pois é a única forma de ver o azeite. Entretanto, é cada vez mais raro ver o azeite nesse tipo de embalagem.

Um dos inimigos do azeite é a luz, e por isso, uma garrafa branca é inadequada para a embalagem do azeite. Veja neste artigo todos os inimigos e as formas adequadas de armazenagem. Recomendamos a leitura de dois artigos adicionais. Um sobre a composição do azeite e outro sobre azeites de qualidade.

A Embalagem ideal do azeite de oliva

Os inimigos naturais do azeite

Uma das qualidades do azeite é a estabilidade, ou seja a ausência de oxidação. A estabilidade é resultado de uma série de fatores, que se iniciam já na produção. Entretanto, é a embalagem do produto que mais irá afetar a estabilidade ao logo do tempo, permitindo que o azeite tenha qualidade durante todo o prazo de validade.

Os principais inimigos do azeite, em termos de estabilidade, são a luz, o calor, a umidade e o oxigênio. Por isso, nas embalagens é obrigatório a frase ‘manter em local seco, longe da fonte de calor ao abrigo da luz’ . Embora não esteja em norma e recomendado que após aberto o azeite deve ser consumido em menos de um mês, pois estará em contato com o oxigênio a cada utilização.

A deterioração do azeite, pode começar já na produção se o produtor não tomar os devidos cuidados. Produtores modernos fazem a sua produção a temperaturas frias (média de 17º e mantêm o azeite armazenado também em cubas refrigeradas e sem a presença de oxigênio.

Um azeite deteriorado que sofreu a ação dos diversos inimigos, é um azeite estragado, é um azeite oxidado, um azeite rançoso, com aroma e gosto ruim, impróprio para consumo.

As embalagens do azeite de oliva

Existem diversos tipos de embalagem para acondicionar o azeite que vai ser comercializado. O produtor escolhe em função do custo, do volume produzido e do impacto que o produtor quer proporcionar no consumidor. Desta forma existem garrafas padronizadas em vários formatos á disposição, claras ou escuras, que podem ser pintadas se o produtor desejar diferenciar.

Algumas das garrafas padronizadas são mais simples e baratas, e também mais disponíveis por que são produzidas em grandes lotes. Modelos mais elaborados também são padrão, mas são mais caras e pode ocorrer indisponibilidade temporária por que as vidrarias fazem lotes pequenos e pode haver demora de reposição no mercado, prejudicando a produção.

Para produtores que tenham grande volume ou desejem exclusividade há a possibilidade de garrafas personalizadas. Esses lotes exclusivos têm custo elevado e a programação da sua elaboração precisa ser bem organizada para não haver carências temporárias, considerando que as vidrarias pedem prazos para reposição.

Temos portanto a seguinte situação de mercado no segmento das embalagens:

  • Garrafas PET: são de material plástico, transparentes ou de cor âmbar em versas espessuras. Muito econômicas, mas inadequadas para azeite quando transparentes ou com pouca espessura por que não protegem o produto da luz.
  • Garrafas de vidro claras: inadequadas para a proteção da luz, mas ainda em uso por produtores que gastam de mostrar o produto. Entretanto essas garrafas vem acompanhadas por caixa de papelão.
  • Garrafas de vidro escuras: normalmente na cor âmbar, permitem uma proteção parcial da luz. Podem também ser acondicionadas em caixa de papelão.
  • Garrafas pintadas: A pintura garante uma melhor proteção à luz. São cada vez mais comuns, pois protegem e permitem personalização mais elaborada do rótulo.
  • Latas: São usadas há muitos anos e continuam sendo uma boa opção para proteger o azeite da luz.
  • Bag-in-box: são embalagens com um saco de alumínio, onde é colocado o liquido. O saco possui uma torneira para a saída do liquido. O saco é acondicionado numa caixa de papelão que permite que a torneira fique fora da caixa. O consumo é pela torneira e na prática o azeite nunca ficará exposto ao oxigênio.

Conclusão sobre as embalagens do azeite

De acordo com o exposto, fica claro que o bag-in-box é a melhor embalagem para o azeite de oliva, mantendo-o fresco e estável por mais tempo, mesmo após o início do consumo. É vendido em volumes grandes, 2 litros ou acima, mas no final compensa por que e mais barato por litro e é um produto mais estável.

Autor: Companhia do Azeite
Especialista em Azeites

Outras leituras:
teste de Simone Faria Silva: Estabilidade de azeite de oliva extra virgem (Olea europaea) em diferentes sistemas de embalagem

comprar azeite cantinho do azeite